Indenizações Fantasmas

Conversava uma vez, com uma pessoa a respeito de preconceitos diversos, dentre eles, o de etnias.
Não mais que de repente, a pessoa me solta a afirmação de que acreditava no sistema de cotas (para negros) pois era uma maneira de “ressarcir” os negros pelos anos de escravidão.

Parei a conversa na hora.
Com absurdos, nenhum argumento é o suficiente. Deixei pra lá…

Sabe-se que no sangue de todos os brasileiros, corre DNA africano e europeu.
A não ser que sua família tenha vindo para o Brasil a menos de 50 anos, por mais branco que você seja, tem lá seu pezinho na Africa, e por mais mulato, tem uma pitada de “sangue azul”.

Agora, me digam. Como poderiamos ressarcir pelos anos de exploração e tratamento sub-humano que o africano teve quando o trouxeram ao Brasil?
Pela aleatoriedade genética da cor da sua pele?

Eu acho que não. 

Mas parece que ou a idéia não é tão abusurda, ou as pessoas estão realmente ficando loucas.

Indenização proposta aos descendentes de escravos no país equivale a 600 PIBs dos EUA
09/07/2009

A cifra é impressionante mesmo. E deve protagonizar uma nova polêmica com amplas discussões por todo o país. A criação da Comissão de Indenização aos Descendentes de Negros Africanos Escravizados no Brasil foi tema de uma audiência pública realizada ontem pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado com uma proposta que prevê o pagamento, em parcela única, de, no mínimo, R$ 200 mil aos que comprovarem o vínculo com os escravos. Caso fosse aprovada hoje e considerando que o território nacional abriga pelo menos 80 milhões de afrodescendentes, a medida custaria aos cofres públicos a impressionante cifra de R$ 16 quadrilhões, ou aproximadamente US$ 8 quadrilhões.

“Esse valor seria algo em torno de 600 PIBs americanos (Produto Interno Bruto)”, prevê Mário Lisbôa, diretor de Cooperação e Desenvolvimento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Apesar de favoráveis à reparação do Estado ao grupo social, especialistas ouvidos pelo Correio foram cautelosos quanto ao pagamento pecuniário.

Embora admita resistência ao tema, sobretudo no Congresso Nacional, Humberto Adami, presidente do Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (Iara), lembra que os judeus vítimas do holocausto e os japoneses encarcerados receberam indenizações. “Por que para outras pessoas podem pagar e não para os negros?”, questionou. Defensor de políticas públicas sociais para os afrodescendentes, Mário Lisbôa pondera que a proposta é positiva, pois coloca a escravidão em debate. Mas admite que, do ponto de vista de capacidade de o Estado pagar esses valores, é inviável. “É um projeto ambicioso, tendo em vista que a população negra representa mais da metade dos brasileiros.”

As indenizações pagariam os negros pelos cerca de 300 anos de escravidão. “Sem qualquer medo de errar, o tema é um dos mais importantes. A ideia de reparação financeira é extremamente polêmica”, afirma o senador Cristovam Buarque (PDT-DF). Contrário ao pagamento das indenizações, o parlamentar defende incentivos educacionais aos estudantes afrodescendentes, financiamento a projetos culturais relacionados à cultura negra, além do reconhecimento público de que a abolição não está completa.

Jornalista e publicitário, João Roberto de Carvalho foi além e apresentou petição, em junho de 2001, à Comissão Interamericana de Direitos Humanos relativa à violação da Convenção sobre Direitos Humanos pelo Estado Brasileiro. “Caso vençamos na OEA, o dinheiro da reparação deverá ser depositado num fundo para ser aplicado em educação afirmativa, e será gerido por um conselho de notáveis da comunidade negra brasileira”, explica.

__________________________________________________

Eu nem me preocupo com esse tipo de coisa aprontada por nossos políticos, porque o valor a ser pago são cifras impossíveis ao país.

NINGUÉM no governo aprovaria um pagamento de 8 QUADRILHÕES de dolares, pois sabe que é pra lá de impossível isso.
Então, sem problema, isso não sai do papel nunca.

Mesmo assim, fico admirado com a curta visão das pessoas.
O pior, é que nego ainda vai usar essa proposta como discurso político para conseguir votos.
¬¬
E indenização por Portugal por traficar nossas riquezas naturais?
Eu acho uma boa.

Anúncios

4 Respostas to “Indenizações Fantasmas”

  1. Léo, há outros argumentos mais viscerais para contrariar esse tipo de política de ações afirmativas. Mas tudo começa na desconstrução de ideias como as de “população negra”, “parcela negra da população”, “afro-descendentes” et coetera et al. E não se trata só de uma questão genética (acho até que a genética nem tem tanta importância assim nessa discussão), mas social, econômica e cultural.

    No Brasil, a questão racial é absurdamente complicada. Ser negro é mais uma questão de posição social do que de cor da pele ou textura de cabelo. Tanto que uma vez ouvi um relato em segunda mão de um homem de pele clara, cabelos loiros e olhos azuis dizendo que era negro (como ele mora numa comunidade pobre onde a maioria é “negra”, trata-se de uma identificação que para ele é inevitável).

    Mas isso é só um exemplo entre muitos outros tópicos possíveis, que podem dar ensejo a um texto na Teia, em breve…

  2. Sim, Thiago.
    Eu acredito nisso sim. O problema no Brasil sempre foi social e não racial.
    Mas cansei de repetir isso. Acho que tem gente que teima em não ver.

    Ou por ser “politicamente correto” defender a “classe” ou por isso dar alguma visibilidade política.
    ou as duas coisas…
    =\

  3. “Politicamente correto” quase são palavras mágicas, e há muita gente na política que acredita em magia…

  4. >:- ( hahaha, minha vó é descendente direta de fidalgo de capitanias hereditárias, cumpadi, e a avó dela tinha escavos em casa. O que eu digo é: se essa coisa de indenizações for aprovada, SOU NEGÃO DESDE SEMPRE, mermão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: