aprende-se

Lembro a alguns anos, quando comecei estudar inglês, tivemos uma aula com a música You Learn da Alanis.

Nunca havia prestado atenção na letra, e gostei bastante quando a estudamos.

Infelizmente, é só na experiência da vida que descobrimos que ela é mais real do que pensamos.

Do que vale, afinal, a vida? Se não for pela própria experiência de se viver?
De que vale o fim, se o durante não for interessante?

E é nesse durante, nos percausos que ela nos impõe, que aprendemos.

Hoje aprendo que palavras não me valem.
Hoje decidi que não quero, nunca mais, ouvir um “eu te amo“.

Do que vale um “eu te amo”, se for composto apenas de palavras?

Confesso, tem sido uma lição dura. Mas nosso amigo alemão já não sabia que “aquilo que não me mata, me fortalece“?

Pois então, pretendo estar mais forte quando as feridas cicatrizarem.
Pretendo optar por não ouvir tudo aquilo que não forem capazes de cumprir.

Uma frase minha que tem se transformado duramente em realidade, palavras são só palavras.

Pretendo viver de ação, de mostrar que palavras não precisam ser ditas, precisam ser sentidas.

Quem não passou por uma experiência em que palavras não eram necessárias?
E elas não são!
Elas são só palavras.

É pelas ações que caminhamos no percurso da epopéia da vida.
Ações são sinceras, espontâneas, irreverssíveis.

Sinto por não ser um post estupendo como esperado, mas era algo que eu precisava fazer.
Algo a ser colocado para fora, um monstro a ser exposto e, finalmente, superado.

Talvez eu me saia melhor, com essas palavras ditas pelos dedos.
Talvez você que está lendo não concorde com o que eu digo.

Talvez eu não devesse clicar em “publicar”, mas eu clico.
Eu também falo (ou ajo) quando não devia.

Erro, me arrependo. Fico triste, choro.
Faço isso tudo.
Por sorte, também sei que amanhã é mais um dia.
Já aprendi, de carnavais passados, que o tempo é um ótimo remédio, ainda que amargo.

Anúncios

4 Respostas to “aprende-se”

  1. Ufa. Agora acho que já consigo dormir. Boa noite, amigos.

  2. Enjoy the Silence – Depeche Mode

    Words like violence
    Break the silence
    Come crashing in
    Into my little world
    Painful to me
    Pierce right through me
    Can’t you understand
    Oh my little girl

    All I ever wanted
    All I ever needed
    Is here in my arms
    Words are very unnecessary
    They can only do harm

    Vows are spoken
    To be broken
    Feelings are intense
    Words are trivial
    Pleasures remain
    So does the pain
    Words are meaningless
    And forgettable

    All I ever wanted
    All I ever needed
    Is here in my arms
    Words are very unnecessary
    They can only do harm

    Sou fã do Depeche há décadas.. kkkkk

    Hadouken!!!

  3. É, bom saber q não sou o único q pensa assim. ^^

  4. Sim, o tempo é o melhor remédio. A essa altura as feridas começaram a cicatrizar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: