Arquivo para março, 2011

do virtual ao cogumelo

Posted in idéias descabidas on março 29, 2011 by Mr. T

Me entristece perceber que quanto mais envelheço, menos eu conheço o mundo, menos eu entendo as coisas.

Mundo globalizado, eletrônico, virtual…
Ok, tiro isso tudo de letra.
Tenho certeza que serei o vovô mais antenado quando estiver batendo meus 70 anos.

Eu só não entendo pessoas.
ô coisinha complexa, mutante, volúvel…

Eu, sinceramente, quero ser sincero com as pessoas que encontro.
Mas é difícil fazê-las entender.
É dificil fazer um elogio a uma mulher e não deixar a impressão de que é apenas mais um homem latino-americano, que está fazendo o que os homens latinos-americanos sempre fazem, tentam comer todas as mulheres a vista.

Não faço elogios que não quero, não faço elogios a quem não mereça…
Só critico quem eu sei que vale a pena, só bato em quem gosto.

Ainda assim, tenho consectivamente sendo confundido em meus atos.
Passo por “só mais um”, ou leviano, dependendo da situação.

Não quero virar alguém amargurado, não quero jogar tudo pro alto e vender batida na praia.
Mas tb não quero ter que justificar tudo que falo, provar com atestado ou curriculo aquilo que sugiro a outros.

Não acreditam em mim? O que posso fazer?
Ainda ficarei um tempo com alguns murros em ponta de faca, acreditando que o amor ainda pode mudar as pessoas e que todos deveríamos sorrir mais no nosso dia, procurando comprimidos de felicidade em cada rasante de pássaro, cada acorde da nossa música predileta na rádio, cada raro ato de generosidade de um motorista.

Por que se tudo der errado mesmo, vou é deixar a barba crescer e montar uma seita naturalista que toma chá de cogumelo com chimarrão.

E porque não?

masterplan

Posted in idéias descabidas on março 28, 2011 by Mr. T

Comecei a procurar realmente um professor de violão.
Gostaria de, em breve, estar dedilhando algo ouvível.

Tudo, na verdade, faz parte do masterplan de aprender novas habilidades a cada ano pelo menos.

Precisamos evoluir. A estagnação mata, nos degenera, corroe a alma.

Aprender novas habilidades é apenas parte do plano.
Dentro dele, ainda estão viajar mais e conhecer mais pessoas.

Todo lugar tem algo a nos ensinar, toda pessoa tem algo a compartilhar.
Algumas são jovens, outras velhas. Algumas são jovens-velhas e outras velhas-jovens.

O ponto é esse, precisamos estar receptivos, sempre, para o que pode ocorrer.

Quando iremos encontrar pessoas interessantes para conversar, trocar experiências e rir juntos? A qualquer momento!
Estamos preparados para isso?
Agora, enquanto você (um dos meus três leitores) lê este texto, o que você faria se seu telefone toca# -q coisa anos 2000, se você recebesse uma mensagem pelo twitter te chamando para sentar em um boteco copo sujo? Ou para ir pra praça jogar papo para o ar enquanto tenta espantar o calor? O que você responderia?

Não me responda, não estou te chamando agora.
O que poderia ocorrer numa ida até a praça, seja as 20h ou as 3h da manhã?
Se você não sabe, eu também não.

E a graça é essa, qualquer coisa poderia ocorrer, e ocorre. Mas não estamos lá para presenciar.
Gostaria de estar em tantos lugares ao mesmo tempo, mas não posso. Só posso estar em um.

Então, porque não estar, pelo menos, no maior número possível de lugares?
Hoje aqui, amanhã não.
Vamos aproveitar nossos gadgets portáteis e conectados para realmente o que foram produzidos, permitir que você esteja em lugares distintos, e ainda assim, com possibilidades que antes só tinha em casa.

Vamos ligar telefones antigos na agenda do celular, aquele que não ligamos a anos e vamos ver se o dono daquele número também está atoa como você, e quem sabe, não poderiam os dois estarem atoa juntos?

O mundo está repleto de possibilidades. Cada pessoa, cada ser humano é uma fonte inesgotável de cultura, diversão, poesia, vida.
Não deixemos isso passar por nós.

Aguardo sua ligação.

 

Ps. Estou realmente procurando professor de violão, mandem contatos. Grato.