Arquivo para julho, 2011

Eu, eu mesmo e o violão

Posted in idéias descabidas on julho 25, 2011 by Mr. T

Não sei se lembram, mas uma das promessas do “masterplan” era aprender a tocar violão.
Pois bem, já estou aprendendo. =)

Tive já, 6 aulas. Cada aula, uma música nova que passo a semana ensaiando.

O curioso é que esta história de violão está sendo muito melhor do que eu poderia esperar.
Eu sabia que seria legal. Sabia que eu ia gostar, mas sequer imaginava que seria tão legal e, na real, não tinha certeza se daria certo.

Eu tinha um certo receio de simplesmente, não ter nascido para isso.
Depois do tempo que fiquei me frustrando nas aulas auto-didatas que tentei por vezes na internet, eu pensava, “poxa, vai ver isso é o que eu sou inapto a fazer, música”.

As vezes existe algo que simplesmente, não somos feitos para aquilo.
Você lê, escreve, desenha, mas não consegue fritar um ovo. Paciência, é a vida.
Mas pelo visto, não. Eu sou apto. =)

As aulas trouxeram uma indescritível satisfação de ver meu próprio progresso.
Antes, os dedos perdidos sobre as cordas, a cabeça confusa, achando que aquilo tudo era um absurdo.
Agora, algumas notas já pulam sozinhas, nunca sequência natural e o ouvido começa a criticar e apontar o caminho.

“Pára tudo ae, cambada. Aquele rapazinho ali foi p lugar errado”.
Mindinho: “- Quem, eu?” O.O

Quarta-feira, depois da aula, fiz minha primeira apresentação pública.
Claro que não foi nada disso, eu só toquei (ou tentei) para uma amiga.
Esqueci letra, parei uma ou duas vezes pra acertar a nota, mas eu estava lá, tocando para alguém.

Foi engraçado. Um sentimento estranho. Algo que te completa.
Não, a apresentação não é o mais importante. O importante mesmo é a música por si, é você sentir que ela sai das suas mãos, sai de você.

É bom sentir na pele que “quando se tem um violão, nunca se está sozinho”.

Números e significados

Posted in idéias descabidas with tags on julho 20, 2011 by Mr. T

Esses dias vi uns jornalistas (ou eram só blogueiros?) usando uns números de pesquisas do Google como suporte para alguns argumentos.
Achei bem descabido, na verdade. Ou seja, perfeito para este blog. =D

Como minha primeira pesquisa, vejam só: girlfriend x boyfriend.

Girlfriend como busca:
– 448 milhões de resultados;
–  52,6 milhões de resultados na busca por imagens.

Boyfriend:
– 339 milhões;
– 39,7 milhões de imagens.

Estariam os homens mais a procura de namoradas que as mulheres de namorados?
Seriam as mulheres mais difíceis de se entender, exigindo buscas constantes no Google, conhecedor de todas as respostas?

Outro dado curioso é, quando se desliga o filtro de busca das imagens, ou seja, permite-se visualizar aquela putaria saudável da internet, temos esses resultados:

Girlfriend: 42,4 milhões.
Boyfriend: 32,4 milhões.

Ambos tiveram menos resultados que a busca com o filtro ativado.
Pelo visto, namoro não combina com putaria.

levanta, sacode a poeira

Posted in idéias descabidas on julho 17, 2011 by Mr. T

Qual a opção?

Você caiu.
Levou uma rasteira da vida.
Acreditava em algo, que não foi pra frente.

Pode chorar.
Faz bem, na verdade.

Chore o bastante.
Mas lembre-se que em algum momento, você terá que levantar.

Então, levanta-te.
Não foi a primeira vez, tão pouco será a última.

Bem-vindo ao mundo fora da tela do cinema.
Aqui, não existe amor eterno.
Amor a primeira vista, ou amores de Sitcoms, que apesar das piadas, acaba dando certo.

Aqui temos só a realidade.
Nua e crua.

Quer um pedaço?
É indigesto, mas constrói o caráter.

Não se deixe calejar.
Não vire um ranzinza cético.

A vida é assim mesma. Ela é estranha, esquisita, mas as vezes vale a pena.
Que não tenha sido dessa vez, mas vai que será a próxima?

Adeus.

Círculos Sociais

Posted in idéias descabidas on julho 15, 2011 by Mr. T

Estava aqui conversando com uma amiga.

Dizia que estava cansado de apenas chamar as pessoas para sair.
Cinema, bar, boteco, jantar em minha casa, passeio na praça.

Mas…
Onde estão os convites à minha pessoa?
Por que ninguém me liga chamando para algo bacana no fim de semana, ou até o velho happy hour de sempre, mesmo no meio da semana?

Chego na conclusão dos círculos sociais.

É simples, ainda que tenha muitos conhecidos, muitos contatos, não estou efetivamente no círculo social de ninguém.
Chamo círculo social, aquele grupo de pessoas que se encontram diariamente, conversam e fazem programas fora daquilo que os obriga encontrar no horário comercial dia pós dia.
Na vida adulta, normalmente faculdade e trabalho.

Sem faculdade e sendo único funcionário do escritório, me vejo numa situação que não tenho círculo algum.

De quem é a culpa? De ninguém.
Murphy, se você quiser mesmo botar alguém no alvo do jogo de dardo.

Não é fácil, mas aceito minha sina.
Sou aquele que sempre chama pra programas legais, dá festas legais, mas que no dia que tá um pouco de bode, acaba ficando em casa assistindo filme no sofá.

Burrice generalizada do politicamente correto.

Posted in idéias descabidas with tags on julho 14, 2011 by Mr. T

Burrice está na lista de coisas que me incomodam. Top 5, provavelmente…

Não quero um mundo de gênios, mas quero um mundo pensante.
Não basta olhar e acreditar que o mundo é apenas aquilo que está na superfície.

Não dá pra continuar pensando, que proibir distribuição de sacolas plásticas irá contribuir com o famoso meio-ambiente.

Um evento que atrai milhares de pessoas para o meio do mato para passar dias assistindo shows de rock, NÃO é um evento sustentável. Entendam. Aceitem.

Se esbofetear ou mobilizar milhares de pessoas que clicam em “curtir” também não irá resolver o problema de homofobia.

Começando pelo fim, por que diabos a lei está sendo chamada de criminalização da homofobia?
O wikipedia me ajuda:

Homofobia: etimologicamente medo do semelhante, uso comum: medo da homossexualidade

Medo? Medo! É claro, é o medo, não a raiva.

Ninguém deveria ser punido por ter medo de um homosexual ou um homem (gênero – androfobia).

Devemos punir atos de preconceito.
Preconceito!
Onde estão os movimentos negros que até outro dia lutavam até mesmo por feriados em seu nome?

Lutando contra o preconceito não estaríamos lutando em favor dos homosexuais também? (das mulheres, dos portadores de necessidades especiais, vesgos, carecas, feios…)

Com movimentos a favor da tolerância, não estaríamos enfrentando aquilo que milhares de pessoas sofrem todos os dias em escolas, filas de banco e padarias?
O que dirá, este que vos escreve, que cresceu tendo que ser forte o bastante para enfrentar (até mesmo fisicamente) pessoas que o discrininavam por ser diferente, por ter cabelos vermelhos e sardas?
Ah, você não sabia disso… Ninguém sabe.
Ninguém acredita.

Passei a infância enfrentando preconceito e não quero lei alguma (ou cota alguma) a favor dos de cabelo vermelho.
Mas ficaria satisfeito em saber que algo está sendo feito, que as pessoas passam a te enxergar como pessoa e não como negro, gay, gordo, ruivo, muçulmano.

Me digam, é com LEIS que vamos conseguir isso?
Ou com educação?

“Ah, argumentozinho velho esse”.
Pois é, velho mesmo. Mas é o único que poderia resolver.
E quer saber, é BEM mais barato do que ficar fazendo cartilha pra distribuir em escola, independente do conteúdo.

É no começo de tudo, que ensinamos ao ser humano que é legal viver em sociedade. Que quando estamos unidos, resistimos, vencemos.
E que quando você olha por dentro, somos todos absolutamente normais.
Todos cheios de defeitos, como todo bom ser humano.

Até lá, continuaremos a ter bancadas evangélicas em países sob Estado Laico, teremos os representantes que representam só as pessoas mancas e canhotas, nascidas na segunda-feira, e só vai representar estas.

Espero que não seja tarde, a sociedade acordar desse modismo conformado do politicamente correto, antes que tenhamos um estado de controle absoluto onde até errar é proibido, logo nós, humanos, que gostamos tanto de errar.

Não quero um mundo Minority Report, nem mesmo viver em um Admirável Mundo Novo.
Prefiro pular fora deste, mesmo em movimento. Vai que pego uma carona. 😉

músicas temáticas I

Posted in drops on julho 13, 2011 by Mr. T

Essa é a minha de fossa:

Getting Better

Posted in idéias descabidas on julho 11, 2011 by Mr. T

Tenho algumas dezenas de posts não publicados.
Não sei o porque, na verdade. Sei que estão lá, no limbo das páginas antigas dos posts, se escondendo entre vários outros selecionados com honras militares e publicados neste arremedo de blog.
Bom, achei que podia valer a pena, meio como uma Menção Honrosa. Eles já cumpriram o seu papel só por existirem, por terem sido escritos. Publico-os como cortesia política.
Esse é de Agosto de 2010. É, faz tempo. Não me perguntem se funcionou…


[Nem preciso dizer que eu adoro o sotaquezinho britânico dessa música. hehehe]

Chega uma hora que não temos muitas opções, além de duas:
“Ou dá ou desce”
“Ou vai ou racha.”

Pois é. Estou adotando uma nova dinâmica, uma em que eu escolho o que vou sentir.
Assim, escolhi melhorar.
Escolhi deixar definitivamente umas coisas de lado ao invés de deixar tudo nas mãos do tempo.

Não que ele não faça um bom trabalho, faz sim.
Mas tem horas que é necessário tomar as rédeas de nossa vida. Ele não se incomoda se encaminhamos e facilitamos um pouco o seu serviço.

Existe muito trabalho a ser feito, e alguém tem que fazê-lo.
Tento alinha-los para que possa começar esta tarefa, um por um. E enterrar de vez alguns velhos fantasmas.

É claro que não faz o menor sentido o que eu digo, mas tudo faz parte de um plano maior.
Unh… ou não.
De toda forma, vamos seguir em frente.

_________________________

Nesta madrugada, véspera de sexta-feira 13, terá uma chuva de meteoros que poderá ser vista a olho nú.

Estou aqui me decidindo, se vou tentar assistir tal espetáculo, se é que conseguirei com as luzes da cidade, ou se permaneço em casa.