resolvi

Posted in idéias descabidas on outubro 22, 2012 by Mr. T

Volto a escrever no blog.

Resolvi por que eu posso, dou-me o direito de abandonar hiatos de seja lá quantos meses.

Pelo menos, isso posso fazer. Afinal, “sou dono do meu destino, capitão da minha alma…”

eminente impotência

Posted in idéias descabidas on julho 21, 2012 by Mr. T

Começo de semana.
Dia com expediente normal, caminho de casa com horário normal.
Dois homens abordam a mim e uma amiga que segue comigo.
Com um deles, uma arma de fogo reluzente nos mantinha quietos e totalmente à mercê.

A fera arranha para sair. Ela sabe que é o momento.
O lado esquerdo do cérebro, num último movimento, avisava que sua acompanhante estava ali, muito perto.
Ninguém deve sofrer por atos de terceiros, muito menos os meus.

O esforço para conte-la foi grande.
Eram dois, mas um estava ainda na moto.
Estavam de capacete, mire o primeiro no estômago, depois, é só empurrar a cabeça com força, que o desequilíbrio faria o resto.
No da moto, um pulo direto derrubaria nós dois.
Ai, meu amigo. Nego ia ter que segurar o bicho no braço.
E ele tava muito, muito bravo.

Tal diálogo durou 1 segundo. O sujeito não era mesmo muito grande.
Não era. Mas aquele pedaço de metal com cápsulas de chumbo e pólvora diziam que ele era, ali, o mais mortífero de nós.
Ninguém deve pagar por nossos atos.

Foi-se uma quantia considerável em dinheiro e equipamento.
Não me diga que não importa, quem sua para trabalhar, quem não faz concessões trabalhando de madrugada e fins de semana sabe, importa sim.
Mas claro, a saúde física ficou intacta. Ela é necessária para conseguir, por vias legais, reaver o que foi perdido.

Arranhado ficou aquele sentimentozinho chato de impotência.
Arranhado, pois ele não é de todo sincero. Aquele diálogo ali atrás ainda é refeito em minha cabeça, apenas para ter certeza de que a atitude foi a melhor possível.

E por sorte, foi mesmo.
Aplaca ligeiramente a impotência, mas não a raiva…

what if…?

Posted in idéias descabidas on junho 27, 2012 by Mr. T

Tenho paciência com muita coisa, mas as vezes, algumas me cansam.

Atualmente, acho que são as pessoas “se”.

Se der eu vou, se não chover,  se o mengão ganhar, se eu conseguir dormir, se ela aparecer, se eu ganhar na loteria.

O problema é que o mundo não funciona assim.

Bem-vindo ao mundo imperfeito da humanidade, pegue uma senha para reclamação.
Sim, nada é como nos filmes.
Os “ses”, normalmente, não ocorrem.

O ponto é, o que você vai fazer enquanto a isso?
Blasfemar aos céus?

Chegar de vincular nossas atitudes a reações externas.
Chega de escorar nossas frustrações em muletas.

Temos que agir. E tem que ser agora!

Pensamentos sexistas

Posted in idéias descabidas with tags on junho 26, 2012 by Mr. T

Contra o senso do Machismo, não deveríamos exaltar um homem por ser pegador e nem julgar uma mulher por ser pegadora.

Mas, e as mulheres que afirmam que querem ser “conquistadas“, como não exaltaríamos o homem que consegue conquistar várias delas?
Oras, não é fácil conquistar uma mulher,  e se o cara tem código genético do Don Juan e consegue isso facilmente, por que não mereceria a fama de pegador, sem que tenha que sofrer um olhar-metralhadora das feministas?

E como não duvidaríamos a mulher que é conquistada facilmente por vários homens?
Deveriamos pensar que ela tem personalidade fraca, pois qualquer homem a satisfaz e a “conquista”?

Entendam, não faço aqui,  juízo de valor algum. Só abri esse pensamento para reflexão minha e de quem quiser me acompanhar.
O Machismo está muito mais enraizado em nossa cultura do que pensamos.

Querer “ser conquistada” é uma barreira que as mulheres precisam superar.
“Dicas de como conquistar uma mulher” é um contra-serviço criado pelas próprias mulheres e está espalhado pelos quatros cantos do infinito da internet.

Sentar e aguardar o príncipe, enquanto joga indireta no facebook não vai ajudar ninguém.
O gênero não importa, somos todos humanos.

Pelo menos, por enquanto.

amor, ah, o amor…

Posted in idéias descabidas on junho 2, 2012 by Mr. T

Me pediram, a pouco tempo, para que eu falasse de amor.
Um comercial de margarina me passa pela cabeça enquanto escrevo.

Mas o amor não é sobre comerciais, muito menos de margarina.

Amor não é aquilo que te faz acordar de manhã com um sorriso de orelha a orelha, o nome disso é outra coisa.
(sim, adoro esse meme)

Amor é…
Ra! achou né, que iria eu, desafiar séculos de literatura romântica que prometem definir o amor em palavras?

Mas amor não é um sentimento?
Sentimentos não podem, por definição, serem reduzidos em palavras, pois estas foram criadas pelo homem e não adaptadas em milênios e milênios de evolução.

Mais fácil, pra mim, do que cair na bobagem em tentar definir o que seja o amor, é dizer, isso tudo pode ser mais fácil.
Sim, pois o amor é fácil. Ele é simples, natural.
Você não teve que aprender a respirar, ou a levar alimento à boca e não à orelha…
Você também não precisa aprender a amar, você já sabe disso. Está em seu código genético, fique tranquilo.
Essa é a boa notícia.

Aprender devemos, a valorizar a simplicidade que esse amor pode crescer, jovem padawan.

Se você for guardar apenas UMA coisa que ler aqui, que seja esta:
– não tenha medo.
Nem mesmo de parecer bobo.

Pelo amor, muita, muita coisa é perdoada. Parecer bobo nem arranha a honra de quem ama.
Quando é sincero, o esforço vale a pena. A vergonha não existe, não importa quem está te olhando, ninguém irá te julgar, assim que perceberem o brilho em seus olhos, aquela cara de bobo que só quem ama possui.
Você está, previamente, perdoado.

Não vou te enganar, vez ou outra algumas coisas que você fez por amor meio que voltam e te assombram. Fazem você pensar, “poxa, como fui idiota”.
Mas não são o suficiente para nos fazer mudar de idéia, achar que não vale a pena parecer idiota na frente de outras pessoas, mas ser a pessoa mais importante do mundo para aquele que te ama.

Parecer idiota pode parecer um erro num futuro qualquer, mas veja, alguns erros PRECISAM ser cometidos.
Sendo assim, tente se lembrar, o problema nunca é o amor, mas pode ser as pessoas.
Se você acha que amou demais, que fez a coisa errada, pense de novo.
Nunca ama-se demais.
Por mais que a pessoa seja a errada, o amor vale a pena. Sempre vale.

E, vejam bem.
Isso não é um depoimento sentimentalista.
É uma visão absurdamente cética, calculista e fria.
Ao chegar no fim da aritmética, descobrimos que nós, humanos, vivemos para o amor.

De uma forma ou de outra.

Ame.

foco energético

Posted in idéias descabidas on junho 1, 2012 by Mr. T

Nossa, foi o pior título que já publiquei no blog.

Gosto da frase, “problema sem solução, solucionado está”.
Não sei de quem é e bom, não tô com paciência de procurar, lamento.

A cada problema que resolvo por não ter solução, a sensação de alívio me invade. É algo meio excitante, como se jogasse adrenalina no sangue. (ou será o alcool?)
Bem, o ponto é, devemos valorizar aquilo que deve ser valorizado.

Por vezes, problemas ou pessoas exigem grande dedicação de nossa parte. O problema é que esquecemos, toda dedicação é esforço, é energia que é gasta e poderia estar sendo aplicada em coisas que realmente valem a pena.
Em tempos de sustentabilidade nem uma pitada de energia deveria ser desperdiçada.

Por outro lado, existem pessoas bem perto de você que provavelmente seriam beneficiadas com a energia poupada. E quem sabe, não são essas pessoas, essas coisas que estavam ali desde o começo mas que você não deu muita bola, aquelas que vão te trazer a satisfação que você não esperava antes?

fora de controle

Posted in idéias descabidas on fevereiro 15, 2012 by Mr. T

Acho que o tema é repetido, é que ele é mais difícil de ser lidado.

Não gosto quando as rédeas estão fora do controle.
Sei que é preciso aprender a lidar com isso, mas não é fácil.

Quando a situação depende de mim, sei o que preciso, sei da dificuldade, sei o que tenho que fazer.
Quando está fora do meu alcance, fico a merce do que, destino?

O que diabos é esse destino, o que fazemos com ele?

Torcemos, tentamos não pensar a respeito, esperamos que o tempo passe rápido e que a vida se resolva.
Não tenho resposta para essas questões ou mensagem positivista sobre isso.

Se alguém tiver para compartilhar, eu aceito.